sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009 | By: Leandro Carvalho

Epitáfio


Eu sou o verso mais triste destilado por uma mão trêmula de saudade;

Sou a prece mais sincera no meio de tantas inverdades;

Sou o sorriso falso, escondendo a alma que sofre;

Sou a dor da saudade... sentimento tão nobre;

Uns me chamam início , outros de fim, mas a maioria ,apenas MORTE.

-

Sou a brisa que acaricia o triste rosto pelas lágrimas maculado;

Fazendo me crer que ser feliz foi meu maior pecado;

Sou as frases feitas amontoadas em verso;

Que mesmo sem tanta eloqüência te mostram meu triste e sombrio universo;

Uns me chamam inicio, outros de fim, mas a maioria, apenas MORTE.

-

Sou o escuro da noite, sou a luz em meio às trevas;

Sou o mensageiro da dor que alegria a outros leva;

Sou a lua com tão doce brilho que ao tocar o mar em sol se transmuta;

Mostrando-me o quanto as escolhas na vida podem ser tão injustas;

Uns me chamam início, outros de fim, mas a maioria apenas MORTE... Enfim.

(Leandro de Carvalho Pereira.)


1 comentários:

dri_marinho disse...

Esse eu nem conhecia ou ouveram mudanças??

Postar um comentário

Facebook

Creative Commons

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.
Sejam bem-vindos. Hoje é

Recomende Nos...

Envie esta página a um amigo!