quinta-feira, 27 de novembro de 2008 | By: Leandro Carvalho

"Lágrimas de Um Palhaço"




Fim do segundo ato

Fecham se as cortinas

Pra esconder o picadeiro

Tão sujo e frio quanto o

Meu coração de palhaço

-

Deixo rolar do canto

Do meu olho uma lágrima

De dor dissipando a

Falsa alegria

Que a maquiagem alegre

Conferia ao meu tão sofrido rosto

-

Finalmente posso ser eu mesmo

A alegria que o sorriso doce das

Crianças me conferia partiu

Ao fim de mais um espetáculo

Agora tenho comigo apenas as

Lágrimas da ausência de um

Amor que perdi sem nunca ter

Tido verdadeiramente.

-

Dói acordar e saber que antes

De ser palhaço, porta voz da alegria,

Sou homem porta voz da dor e do sofrimento

Da tristeza e da incerteza afinal de contas

Sou apenas humano.

(Leandro de Carvalho Pereira)



1 comentários:

dri_marinho disse...

"Quantas vezes não expressamos alegria a outros qndo na verdade estamos profundamente tristes?Tantos momentos que estamos rodeados de pessoas e nos sentimos sozinhos?Mascarando a dor e a solidão que poucos desconhecem?" Nooossa, eu adoro essa poesia é uma das minhas preferidas...linda!Foi o primeirinho de uma fonte,que espero eu,não pare de jorrar!!Bjo poeta raro...te adoro até sempre!!

Postar um comentário

Facebook

Creative Commons

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.
Sejam bem-vindos. Hoje é

Recomende Nos...

Envie esta página a um amigo!